Contacto Correo Web Intranet

Las interacciones nocturnas plantas-polinizadores en una vegetación semiárida brasileña

Publicada el 24 DE JULIO 2013, 17:35 En Seminarios IADIZA-IANIGLA.

El miércoles 24 de Julio el Investigador Joel Queiroz del Laboratório de Biologia Floral e Reprodutiva - POLINIZAR Universidade Federal de Pernambuco de Brasil disertará sobre "las interacciones nocturnas". La misma será a partir de las 12hs en la Sala Latinoamericana del CCT Mendoza.
Las interacciones nocturnas plantas-polinizadores en una vegetación semiárida brasileña
Las espécies de plantas ( Ipomoea marcellia - Convolvulaceae; y Pilosocereus gounellei var. gounellei - Cactaceae) son endêmicas de las Caatingas.
RESUMO - A Província das Caatingas constituem o quarto maior ecossistema brasileiro, cobrindo uma área de cerca de 844.453 km², o que corresponde a 8,8% do território desse país. Recentemente, as Caatingas foram reconhecidas como uma das 37 grandes regiões naturais do mundo. No entanto, mesmo com essa grande extensão e importância para o Brasil, continua sendo um dos ecossistemas menos estudado no país. Na verdade, poucos estudos com informações ecológicas estão disponíveis com una notável falta de estudos enfocando a biologia e dinâmica de suas espécies. Esse ecossistema, por exemplo, apresenta uma alta percentagem de polinização por vertebrados (28.1%), e, em comparação com vários outros ecossistemas, uma maior porcentagem de espécies polinizadas por morcegos (13%). Especificamente, as interações de polinização noturnas foram objeto de estudo em apenas um trabalho, que investigou a biologia floral de quatro espécies de cactos pertencentes ao gênero Pilosocereus. Sabendo-se da importância da guilda de plantas noturnas nas Caatingas e da necessidade de investigar melhor esse sistema mutualístico, resolvi trabalhar com esse tema a cinco anos atrás. Nesse trabalho, investigamos as interações mutualísticas de plantas com flores noturnas e polinizadores (morcegos e esfingídeos) em uma área de Caatinga, no nível de espécies individuais e no de multiespécies, abordagem que pode nos aproximar de uma visão mais completa da estrutura e do funcionamento desse sistema mutualístico ainda pouco investigado. Em minha apresentação irei mostrar os resultados mais relevantes de meu trabalho e outros que estão em fase de análises. Serão, por exemplo, apresentados resultados de investigação com espécies de plantas endêmicas de Caatinga e algumas análises de redes de interações.